quinta-feira, 3 de julho de 2008

Um gesto ao general de guerra


Chuva,
Uma nuvem que chora.
Canto,
Vida de um adolescente.
Sonho,
A vida ainda há de trazer.

Ao Papa dou um solo de guitarra,
Pro general um gesto obsceno.

Escuridão...
Ainda há uma luz no fim do túnel.
Amor,
Uma forma de viver.

Ao amigo estendo a mão,
E os meus sonhos...
Espero vivenciá-los.

2 comentários:

Nido disse...

Provova dilemas, como toda bela e eficiente Poesia.

Seu Blog é perfeito.
Leve-o adiante!

Nido disse...

Add seu Blog aos meus Links!